• Nenhum item no carrinho

Diário de um ano de trevas
Diário de um ano de trevas

Diário de um ano de trevas

Organização: Frei Betto, Alceu Amoroso Lima Filho

O livro Diário de um ano de trevas – Cartas de Alceu Amoroso Lima para sua filha madre Maria Teresa: janeiro de 1969 - fevereiro de 1970 tem organização de Frei Betto, que também assina o prefácio da publicação, e de Alceu Amoroso Lima Filho, autor do texto de apresentação. No volume, 30 anos de cartas quase diárias de Alceu Amoroso Lima (1892-1983) para sua filha, madre Maria Teresa (1929-2011), abadessa de um convento em São Paulo. Parte dessa correspondência foi reunida no livro Cartas do pai (que reúne correspondências enviadas entre julho de 1958 e dezembro de 1968), publicado em 2003 pelo Instituto Moreira Salles. Agora vem a público este volume, que reúne cartas escritas entre janeiro de 1969 e fevereiro de 1970.

Com a decretação do Ato Institucional nº 5, em dezembro de 1968, o regime militar brasileiro se endurecia. Decepcionado com a opressão política, descrente que voltaria a viver em um país democrático, desanimado com os rumos da Igreja Católica, Alceu Amoroso Lima dá sua visão sobre esse verdadeiro período de trevas. Com a liberdade que não tinha nos textos publicados na imprensa, cerceada pela ditadura, o autor traça um percurso de crescente desilusão e desânimo. Diário de um ano de trevas apresenta o retrato desse período conturbado pela óptica de um dos brasileiros, segundo Frei Betto, “mais cultos, coerentes e solidários às vítimas do arbítrio do século XX”. 

Além de críticas aos rumos da ditadura militar e da Igreja, o leitor encontrará ainda nas cartas de Alceu, as recordações do Rio de Janeiro de sua infância e juventude, referências a celebridades da literatura, do catolicismo e da política do Brasil e do mundo, e bastidores da Academia Brasileira de Letras.  

“São missivas menos ‘religiosas’ e mais ‘políticas’, se comparadas às do primeiro volume. O texto de Alceu Amoroso Lima reflete o contexto do país e do mundo no período em que foi escrito, como uma espécie de ‘diário de bordo’ de quem atravessa uma época conturbada tanto na vida social quanto na Igreja Católica, encabeçada pelo Papa Paulo VI, fragilizado em seu propósito de levar à prática as decisões do Concílio vaticano II”, explica Frei Betto. 

Páginas: 294
Formato: 16 x 23 cm
ISBN: 9788586707964
Idioma: Português

R$49,90

Adicionar à Lista de Desejos