• Nenhum item no carrinho

Versos de circunstância
Versos de circunstância

Versos de circunstância

Autor: Carlos Drummond de Andrade
Organização: Eucanaã Ferraz

Versos de circunstância reúne poemas de ocasião escritos por Carlos Drummond de Andrade. Dos 295 poemas, datados entre 1951 e 1968, 229 são inéditos. Com organização do poeta e consultor de literatura do Instituto Moreira Salles Eucanaã Ferraz e texto de abertura do professor Marcos Antonio de Moraes, o livro publica, além dos versos transcritos, todos os poemas em fac-símile.

Nos poemas em fac-símile, é possível acompanhar, na caligrafia fluente de Drummond, o envio das dedicatórias, homenagens, votos de boas-festas e outros textos movidos pelo momento. Versos de circunstância foi o nome dado pelo próprio Drummond aos três pequenos cadernos da marca De Luxe nos quais o autor anotou as dedicatórias que escrevia antes de enviá-las a familiares e amigos – muitos deles nomes importantes da vida pública brasileira, como Otto Maria Carpeaux, Lygia Fagundes Telles, José Olympio e Cleonice Berardinelli. Desses cadernos, que são conservados no Arquivo-Museu da Literatura Brasileira da Fundação Casa de Rui Barbosa, saltam nomes, datas, acontecimentos, conversas, segredos e declarações. Plenos de amor, intimidade, jogos onomásticos e experimentações sonoras, os poemas são também testemunhos das relações intelectuais e afetivas que traçaram redes de sociabilidade no campo literário em torno do maior poeta brasileiro.

Páginas: 288
Formato: 18 x 24,4 cm
ISBN: 9788586707674
Idioma: Português

R$55,00
Adicionar à Lista de Desejos

Carlos Drummond de Andrade

Autor

Carlos Drummond de Andrade (Itabira, MG, 1902-Rio de Janeiro, 1987) foi poeta, contista e cronista. Estudou em Belo Horizonte, no Colégio Arnaldo, e em Nova Friburgo, no Colégio Anchieta, de jesuítas. Formado em farmácia, fundou, com Emílio Moura e outros companheiros, A Revista, para divulgar o modernismo no Brasil. Em 1925, casou-se com Dolores Dutra de Morais, com quem teve dois filhos, Carlos Flávio, que viveu apenas meia hora, (e a quem é dedicado o poema "O que viveu meia hora", presente em Poesia completa, Nova Aguilar, 2002), e Maria Julieta Drummond de Andrade. Publicou sua primeira obra poética, Alguma poesia, em 1930. Durante a maior parte da vida, Drummond foi funcionário público, embora tenha começado a escrever cedo e prosseguido até morrer, em 1987, no Rio de Janeiro, 12 dias após a morte de sua filha.

Eucanaã Ferraz

Organização

Eucanaã Ferraz (Rio de Janeiro, 1961) é poeta, professor de literatura brasileira na Universidade Federal do Rio de Janeiro e autor, entre diversos outros, de Desassombro, Sentimental (livro vencedor do prêmio Portugal Telecom em 2013) e Escuta.