• Nenhum item no carrinho

Thomaz Farkas: uma antologia pessoal
Thomaz Farkas: uma antologia pessoal

Thomaz Farkas: uma antologia pessoal

Fotógrafo: Thomaz Farkas

Thomaz Farkas: uma antologia pessoal reúne cerca de 130 imagens de Thomaz Farkas e texto de João Farkas, filho do fotógrafo. Para compor o livro, durante dois anos Thomaz Farkas revisitou toda a sua trajetória, com suporte de seus filhos João e Kiko Farkas, e em conjunto com os pesquisadores e curadores do Instituto Moreira Salles, que hoje preserva sua obra fotográfica.

Em Thomaz Farkas: uma antologia pessoal, encontram-se imagens do fotógrafo produzidas a partir da década de 1940, época em que Farkas se associou ao Foto Cine Clube Bandeirante (fccb), local de debate sobre a atividade fotográfica. Afinados com as vanguardas europeias e norte-americanas, os paulistas do fccb buscavam uma estética específica para a foto, com novos enquadramentos e pontos de vista inusitados. Há também trabalhos posteriores, com uma abordagem mais humanista, quando Farkas se aproximou do fotojornalismo. Destacam-se as séries sobre o Rio de Janeiro que incorporam o retrato e a vida dos moradores de bairros populares e regiões do centro histórico da então capital federal. É dessa mesma fase sua célebre sequência sobre o balé Yara. 

Também estão presentes algumas imagens coloridas datadas de 1975, mas que só foram apresentadas pela primeira vez ao público em 2005. São fotografias feitas durante uma expedição científica ao Amazonas e em uma incursão a Salvador.

Páginas: 298
Formato: 25,5 x 32 cm
ISBN: 9788586707636
Idioma: Português

R$85,00
Adicionar à Lista de Desejos

Thomaz Farkas

Fotógrafo

Nascido em Budapeste, Hungria, Thomaz Farkas (1924-2011) chegou ao Brasil aos seis anos e tornou-se um dos mais importantes nomes da fotografia moderna no país. Sua imersão no universo da fotografia ocorreu muito cedo, pois a família era dona de lojas de artigos fotográficos. Em 1949, realizou sua primeira exposição individual, Estudos fotográficos, no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em sua obra, convivem extremos, como os elegantes estudos de movimentos e de corpos em contraluz que produziu sobre o balé, nos anos 1950, e a série de imagens coloridas sobre a pobreza brasileira, que realizou nos anos 1970 no Amazonas e na Bahia.