• Nenhum item no carrinho

Charles Landseer: desenhos e aquarelas de Portugal e do Brasil – 1825-1826
Charles Landseer: desenhos e aquarelas de Portugal e do Brasil – 1825-1826

Charles Landseer: desenhos e aquarelas de Portugal e do Brasil – 1825-1826

Artista: Charles Landseer
Texto: Leslie Bethell

O livro Charles Landseer: desenhos e aquarelas de Portugal e do Brasil, 1825-1826 foi lançado paralelamente a uma exposição homônima nos centros culturais do Instituto Moreira Salles e traz mais de 200 imagens feitas por Charles Landseer (1799-1879) como artista oficial da missão diplomática britânica – chefiada por Charles Stuart – que tinha o objetivo de negociar o reconhecimento, por parte de Portugal e da Grã-Bretanha, do recém-independente Império do Brasil. 

A publicação funciona como uma narrativa visual do trajeto feito por Landseer entre 1825 e 1826. Cada capítulo representa uma etapa de sua viagem. Bilíngue (inglês/português), o livro tem texto de introdução de Leslie Bethell, que contextualiza a produção artística de Landseer com o cenário histórico da época, vivido entre Brasil, Portugal e Grã-Bretanha.

Páginas: 256
Formato: 34,7 x 24 cm
ISBN: 9788586707490
Idioma: Português/Inglês

R$140,00

Adicionar à Lista de Desejos

Charles Landseer

Artista

Charles Landseer (Londres, 1799-Idem, 1879), foi pintor, desenhista e gravador. Ele iniciou seu aprendizado artístico com o pai, o gravador e arqueólogo John Landseer (1769-1852), e aperfeiçoou-se com o pintor Benjamin Robert Haydon (1786-1846). Em 1816, ingressou na Royal Academy of Arts, em Londres. O artista integrou a missão diplomática chefiada pelo embaixador inglês Charles Stuart, que veio ao Brasil em 1825 para negociar os termos do reconhecimento da independência do país, onde permaneceu por pouco mais de um ano. Realizou cerca de 300 desenhos e aquarelas, registrando cenas cotidianas observadas em viagens realizadas por Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Pernambuco. Ao retornar a Londres, o artista dedicou-se a pinturas históricas e de gênero. Entre 1851 e 1873, tornou-se o principal instrutor da Royal Academy of Arts. O conjunto de seus trabalhos feitos no Brasil, que ficou em posse de Charles Stuart, compõe o Highcliffe Album, que conta também com desenhos do pintor francês Debret (1768-1848) e dos ingleses William John Burchell (1781-1863) e Henry Chamberlain (1796-1844). Em 1999, o álbum passou a integrar o acervo do Instituto Moreira Salles.