• Nenhum item no carrinho

Na Rua: Vincenzo Pastore
Na Rua: Vincenzo Pastore

Na Rua: Vincenzo Pastore

Autor: Antonio Arnoni Prado
Fotógrafo: Vincenzo Pastore

Este livro traz a público um dos mais agudos retratos da cidade de São Paulo no início do século xx. O fotógrafo italiano Vincenzo Pastore, radicado no Brasil desde 1894, percorrendo com sua câmera as ruas à margem do centro de São Paulo, encontrou, para além dos grandes magazines, dos cafés e das confeitarias chiques, uma realidade bastante diferente da chamada belle-époque.

O que se vê no livro é um espaço urbano que, na década de 1910, enfrentava dois grandes desafios. De um lado, superar os desequilíbrios sociais herdados dos períodos colonial e imperial; de outro, lidar com uma nova categoria de cidadãos marginalizados, que, no entanto, entravam com força na composição da sociedade paulistana: os imigrantes. Entre eles, é claro, o próprio Pastore.

Em imagens que combinam apuro formal e temática social, antecipando uma espécie de estética neorrealista, é o dia a dia dessa luta pela sobrevivência que se destaca no conjunto. Carroceiros procuram serviço, lixeiros enchem seus carroções, barbeiros esperam seus fregueses, lavadeiras conversam com baldes pendurados nos braços, negros descalços andam pelas ruas como autênticos escravos do ganho, vendendo o que lhe cai às mãos para amealhar a féria do dia. Parte integrante do acervo do ims, as fotografias de Vincenzo Pastore revelam, por tudo isso, uma imensa curiosidade urbana e humana, capaz de dizer muito sobre o passado da capital paulista e, também, sobre as ilusórias estratégias do progresso em nosso país.

As fotos são acompanhadas por um ensaio de Antonio Arnoni Prado.


R$39,00

Adicionar à Lista de Desejos

Antonio Arnoni Prado

Autor

Antonio Arnoni Prado é professor de teoria literária no Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp. Autor de inúmeros livros, é um reconhecido especialista nas obras de Sérgio Buarque de Holanda. Além disso, é profundo conhecedor da literatura anarquista no Brasil, intimamente ligada ao fenômeno da imigração italiana e, portanto, ao universo fotografado por Vincenzo Pastore. Em 2001, Arnoni ganhou a bolsa de mérito acadêmico John Simon Guggenheim Memorial Foundation e, em 1997, o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro.

Vincenzo Pastore

Fotógrafo

Vincenzo Pastore (Casamassima, Itália, 1865-São Paulo, 1918), como tantos outros italianos de sua geração, lançou-se à aventura do Novo Mundo. Em 1894, numa primeira passagem pelo Brasil, trabalhou como fotógrafo em São Paulo. Retornou ao país em 1899, estabelecendo estúdio e residência na capital paulista, à rua da Assembleia. Pastore tocava o estúdio com a ajuda da esposa Elvira Leopardi Pastore (1876-1972) e, na primeira década do século XX, abriu uma filial do estúdio à rua Direita. Em 1914, voltou à Itália e inaugurou, em Bari, o estúdio Ai Due Mondi, mas a I Guerra Mundial não favoreceu os negócios e Pastore foi obrigado a fechar as portas. Mais uma vez em São Paulo, seguiu trabalhando com fotografia e publicou imagens em revistas ilustradas, como A Cigarra e A Vida Moderna.