• Nenhum item no carrinho

Pixinguinha: Outras Pautas
Pixinguinha: Outras Pautas

Pixinguinha: Outras Pautas

Autor: Pixinguinha
Organização: Pedro Aragão

Caixa de partituras sobre o músico, Pixinguinha: outras pautas, com 44 arranjos, incluindo livreto especial com o conteúdo sobre as composições, arranjos e sobre as pesquisas feitas a partir desse material.

Organizada por Bia Paes Leme, Marcílio Lopes, Paulo Aragão e Pedro Aragão, a publicação emerge na produção de Pixinguinha para o programa da rádio Tupi O Pessoal da Velha Guarda, comandado pelo lendário Almirante (Henrique Foréis Domingues) entre 1947 e 1952. Pixinguinha: outras pautas reúne arranjos feitos para o programa.

O lançamento dessa publicação dá sequência ao trabalho iniciado em Pixinguinha na pauta, publicado em 2010. É também o princípio de uma grande celebração em homenagem a um dos mais completos artistas que o Brasil já conheceu, exemplificado nas palavras de Paulo Aragão: “O seu pleno domínio da escrita orquestral popular e a riqueza do repertório fazem desse material um verdadeiro tesouro escondido da música brasileira, pouco conhecido entre os admiradores de Pixinguinha e mesmo entre os estudiosos de sua vida e obra”.

Livreto especial: 40 páginas

Cadernos de partituras

1. Ainda me recordo: 24 páginas
2. At a Georgia camp meeting: 16 páginas
3. Capenga não forma: 28 páginas
4. Caprichoso: 16 páginas
5. Careca não vai à missa: 20 páginas
6. Carinhoso: 40 páginas
7. Carnaval duvidoso: 16 páginas
8. Cercando frango: 24 páginas
9. Chegou! Chegou?: 20 páginas
10. Cheirosa: 16 páginas
11. Corroca: 24 páginas
12. Dando topada: 20 páginas
13. Dengo-dengo: 20 páginas
14. Dengoso: 16 páginas
15. Desprezado: 20 páginas
16. Ele e eu: 16 páginas
17. Fadinho da Sabina: 16 páginas
18. Fantasia ao luar: 16 páginas
19. Helena: 24 páginas
20. Kananga do Japão: 24 páginas
21. Lamentos: 28 páginas
22. Maxixe de ferro: 20 páginas
23. Minha vez: 24 páginas
24. O chá da meia-noite: 16 páginas
25. Oh! Arara: 20 páginas
26. Os boêmios: 20 páginas
27. Os tiros da vovó: 16 páginas
28. Paciente: 20 páginas
29. Para a cera do Santíssimo: 12 páginas
30. Parangolé: 20 páginas
31. Pula sapo: 20 páginas
32. Quem é você?: 20 páginas
33. Querendo bem: 24 páginas
34. Rancho abandonado: 12 páginas
35. Róseas flores d’alvorada: 16 páginas
36. Saudações: 28 páginas
37. Sertanejo: 20 páginas
38. Seule: 24 páginas
39. Siri tá no pau: 20 páginas
40. Só se me deres um beijo: 16 páginas
41. Soluçando: 20 páginas
42. Tango n.1: 20 páginas
43. Urubatan: 24 páginas
44. Vem cá, Bitu: 24 páginas

Formato: 29,7x21cm
Idioma: Português
Lançamento: Abril/2014

R$150,00

Adicionar à Lista de Desejos

Pixinguinha

Autor

Pixinguinha (Rio de Janeiro, 1897-Idem, 1973), apelido de Alfredo da Rocha Viana Filho, foi flautista, saxofonista, compositor e arranjador. É considerado um dos maiores compositores da música popular brasileira e contribuiu diretamente para que o choro encontrasse uma forma musical definitiva. Filho do músico Alfredo da Rocha Viana, funcionário dos correios, flautista e que possuía uma grande coleção de partituras de choros antigos, aprendeu música em casa. Começou a atuar em 1912 em cabarés da Lapa e depois substituiu o flautista titular na orquestra da sala de projeção do Cine Rio Branco. Nos anos seguintes, continuou atuando em salas de cinema, ranchos carnavalescos, casas noturnas e no teatro de revista.
Pixinguinha integrou o famoso grupo Caxangá, com Donga e João Pernambuco. A partir deste grupo, foi formado o conjunto Oito Batutas, ativo a partir de 1919. Na década de 1930, foi contratado como arranjador pela gravadora rca Victor. Na década de 1940, passou a integrar o regional de Benedito Lacerda. Compôs “Carinhoso”, um de seus grandes sucessos, entre 1916 e 1917.