• Nenhum item no carrinho

Modernidades Fotográficas: 1940-1964
Modernidades Fotográficas: 1940-1964

Modernidades Fotográficas: 1940-1964

Fotógrafo: Thomaz Farkas, Marcel Gautherot, José Medeiros, Hans Gunther Flieg

O catálogo reúne a obra de quatro grandes fotógrafos brasileiros num período crucial para a formação da fotografia moderna brasileira – e para os destinos do país. Fruto de uma exposição inaugurada no Museum für Fotografie em Berlim, em setembro de 2013, o catálogo já fora lançado em alemão pela editora Kerber e agora ganha versão brasileira pelo IMS. A curadoria da exposição e a organização do catálogo são de Samuel Titan Jr. (IMS) e Ludger Derenthal (Museum für Fotografie).

 O catálogo estuda a obra fotográfica de José Medeiros (1921-1990), Thomaz Farkas (1924-2011), Marcel Gautherot (1910-1996) e Hans Gunther Flieg (1923-), todos com acervos pertencentes ao IMS. Nos textos reunidos no catálogo, quatro ensaístas examinam as diferentes noções de modernidade que se manifestam no trabalho dos fotógrafos, do fotojornalismo de Medeiros ao modernismo de Gautherot, da abstração de Farkas à fotografia industrial de Flieg – tudo isso contra o pano de fundo de um país em rápida e contraditória transformação.

Páginas: 281
Formato: 22 x 19 cm
ISBN: 9788583460015
Idioma: Português

R$124,90

Adicionar à Lista de Desejos

Thomaz Farkas

Fotógrafo

Nascido em Budapeste, Hungria, Thomaz Farkas (1924-2011) chegou ao Brasil aos seis anos e tornou-se um dos mais importantes nomes da fotografia moderna no país. Sua imersão no universo da fotografia ocorreu muito cedo, pois a família era dona de lojas de artigos fotográficos. Em 1949, realizou sua primeira exposição individual, Estudos fotográficos, no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em sua obra, convivem extremos, como os elegantes estudos de movimentos e de corpos em contraluz que produziu sobre o balé, nos anos 1950, e a série de imagens coloridas sobre a pobreza brasileira, que realizou nos anos 1970 no Amazonas e na Bahia.

Marcel Gautherot

Fotógrafo

Marcel Gautherot (Paris, 1910-Rio de Janeiro, 1996) estudou na Escola Nacional de Artes Decorativas e trabalhou alguns anos como arquiteto de interiores e projetista de móveis. Em 1936, ingressou no Museu do Homem, no qual desenvolveu seus conhecimentos técnicos de fotografia. Em 1939, viajou pela primeira vez ao Brasil, para uma expedição que começaria na Amazônia e terminaria no carnaval do Rio de Janeiro; a viagem foi interrompida no início de 1940 pelo início da Segunda Guerra Mundial. Depois de poucos meses junto às tropas francesas no Senegal, Gautherot voltou ao Brasil, onde viveria pelo resto da vida. Radicado no Rio de Janeiro, em mais de meio século de vida no Brasil, Gautherot viajou por todo o país, produzindo uma obra fotográfica de valor documental e qualidade artística incomparáveis.

José Medeiros

Fotógrafo

José Medeiros (Teresina, 1921-Áquila, Itália, 1990) travou seus primeiros contatos com a fotografia em Teresina. Em 1939, mudou-se para o Rio de Janeiro e passou a publicar seus instantâneos nas revistas Tabu e Rio. Em 1946, o fotógrafo francês Jean Manzon, radicado no Brasil desde 1940, convidou-o a integrar a equipe da revista O Cruzeiro, um dos maiores sucessos da imprensa brasileira e, sobretudo, um centro de inovação fotojornalística. Medeiros trabalharia por 15 anos para a revista. Em 1962, fundou a agência Image, em parceria com Flávio Damm e Yedo Mendonça. Três anos mais tarde, começou a trabalhar com cinema, assinando a direção de fotografia de clássicos como A falecida (1965), de Leon Hirszman, Xica da Silva (1976), de Cacá Diegues, e Memórias do cárcere (1984), de Nelson Pereira dos Santos.

Hans Gunther Flieg

Fotógrafo

Nascido em 1923 em Chemnitz, Alemanha, Hans Gunter Flieg emigrou para São Paulo com seus pais e seu irmão em 1939, no início da Segunda Guerra Mundial.