• Nenhum item no carrinho

serrote 17
serrote 17

serrote 17

Um dos destaques deste número é o ensaio do mexicano Rubén Gallo, professor da Princeton University, onde dirige o programa de estudos latino-americanos.
Em “O improvável Édipo stalinista”, Gallo (1969) conta a história de um jurista mexicano, discípulo e correspondente de Freud, que tentou compreender o assassinato de Leon Trótsky a partir da psicanálise. Originalmente publicado como capítulo do livro Freud’s Mexico, de 2010, o texto procura mapear a recepção das teorias freudianas entre intelectuais e artistas no México. Acompanham o ensaio fotos do também mexicano Manuel Álvarez Bravo (1902-2002), um dos principais nomes da história da fotografia no século 20.
Outro ensaio desta edição que propõe uma reflexão sobre a América Latina é “Itinerários extraterritoriais”, de outro mexicano, Juan Villoro (1956). O jornalista defende que, vítima de seu próprio exotismo, enredada no olhar multicultural, a América Latina continuaria sob o risco de ser representada como um parque temático.
Na série The Liar, the Copy of the Liar, o artista belga radicado no México Francis Alÿs encomendou a pintores de cartazes cópias de suas próprias telas. Mais tarde, misturou-as às suas obras, com o objetivo de criticar o circuito do comércio de arte. As pinturas ilustram “Breves conferências”, de Anne Carson (1950). Com obra inédita no Brasil, ela é, sobretudo, poeta, apesar de se dedicar continuamente ao ensaio e à tradução de clássicos gregos. Os fragmentos publicados na serrote, difíceis de serem classificados em um único gênero, fazem parte de Plainwater (2000), livro que mistura poesia e prosa.
A obra de Janet Malcom (1934) é referência incontornável para o jornalismo contemporâneo. Há mais de cinco décadas colaborando com a revista New Yorker, ela se tornou sinônimo do espírito da revista. É dela o texto “41 falsos começos”, publicado nesta edição da serrote, sobre o artista americano David Salle.
Alexandre Eulalio (1932-1988) ainda é um dos grandes nomes do ensaísmo brasileiro por sua diversidade de interesses, sua sofisticação de abordagem e estilo refinado. A serrote traz o texto “Os Beatles são um pouco de tudo para todas as pessoas”, que fará parte de uma nova coletânea do autor, organizada por Carlos Augusto Calil, a ser publicada pela Companhia das Letras.
O ensaio visual deste número, “Sobre a forma”, foi publicado na França como livro. Quatro estudantes da École Nationale Supérieure de Création Industrielle ilustraram uma palestra do escritor francês Jean-Christophe Bailly (1949). Os desenhos foram traçados com uma única cor: tinta azul da caneta esferográfica Bic.

E mais:

- “Saudades de casa”, de Ana Almeida (1982), foi o terceiro colocado no 2º Prêmio de Ensaísmo serrote;

- o filósofo Alain Badiou (1937) assina o texto “24 anotações sobre a palavra ‘povo’”, termo que hoje é parte sensível do léxico político. O texto é ilustrado pela série de heliogravuras do artista argentino León Ferrari (1920-2013);

- Em “Ponte e porta”, Georg Simmel (1858-1919), na Berlim do início do século 20, sugere identificar o que é próprio da condição humana nos conceitos de porta e de ponte, retirando-as do cotidiano com o olhar inquiridor de quem as vê pela primeira vez;

- Em “O silêncio dos livros”, George Steiner (1929) discute a tradição da cultura impressa ocidental. As ilustrações são do paulista Iran do Espírito Santo (1963), que atua em múltiplas frentes, do desenho à escultura, passando pela gravura e pela pintura. A série CRTN parte da ideia de variações de luz sobre a cortina – referência abreviada nas consoantes que dão nome à série;

- “Ficções da vida e da morte”, do ensaísta inglês James Wood (1965), define a literatura como um momento privilegiado de compreender a vida do princípio ao fim. O texto é acompanhado por uma série de litografias do pintor e escultor americano Frank Stella (1936), um dos principais nomes do minimalismo.
Aloisio Magalhães, André Antônio Barbosa, Antonio Dias, Ben Shahn, David Levine, Delmore Schwartz, Eadweard Muybridge, Ed Rocha, Elizabeth Hardwick, Jacques Rancière, James Thurber, Jed Perl, Keith Houston, Lorenzo Mammì, Lou Reed, Lygia Pape, Martin Scorsese, Max Bense, Montaigne, Nelson Leirner, Odires Mlàszho, Oswaldo Goeldi e W.H. Auden.

Páginas: 240
Formato: 24x18cm
Idioma: Português
Coleção: Serrote
Lançamento: Julho/2014

R$42,50

Adicionar à Lista de Desejos