• Nenhum item no carrinho

Paranoia
Paranoia

Paranoia

Autor: Roberto Piva
Fotógrafo: Wesley Duke Lee

Originalmente publicado em 1963 e esgotado durante um longo período, o livro reúne 19 poemas de Roberto Piva e fotografias do artista plástico Wesley Duke Lee. Desde sua primeira edição, Paranoia compõe uma das mais fortes parcerias artísticas que a cidade de São Paulo já inspirou.

Na época de seu lançamento, Paranoia teve o destino dos livros que nadam contra a corrente. De um lado, por sua índole contestadora, incomodou os críticos mais conservadores. De outro, por seu individualismo anárquico, confrontou a vanguarda literária mais programática na época, o movimento concretista. Em compensação, seus poemas foram cultuados por todos os leitores e artistas receptivos a uma sensibilidade profundamente libertária.

Paranoia é o mais eloquente exemplo da primeira fase da carreira de Piva, na qual o ímpeto para a transgressão talvez seja a característica predominante. Muitas tradições literárias entrecruzam-se nesta obra. Entre elas, vale citar a da meditação andarilha pela cidade, consagrada com Baudelaire e cuja influência varreu o mundo, alcançando a metrópole periférica de Mário de Andrade e do modernismo da primeira geração. Vale registro também o influxo dos poetas beat norte-americanos, com sua apologia do desejo irrefreado, seu destemor diante da alternância entre os registros alto e baixo, sua livre associação de ideias e referências e sua adesão ao escape proporcionado pelas drogas. “Uma visão alucinatória de São Paulo”, foi como Piva definiu seu livro.

Páginas: 208
Formato: 17x23,5cm

R$60,00

Adicionar à Lista de Desejos

Roberto Piva

Autor

Roberto Piva (São Paulo, 1937-Idem, 2010) sempre viveu em São Paulo. Figura ativa no meio cultural e poético paulistano desde a juventude, teve seus primeiros poemas publicados na célebre Antologia dos novíssimos (Massao Ohno, 1961). Publicou os livros de poemas Paranoia (Massao Ohno, 1963, Instituto Moreira Salles, 2000), Piazzas (Massao Ohno, 1964, Kairós, 1980), Abra os olhos e diga ah! (Massao Ohno, 1975), Coxas (Feira de Poesia, 1979), 20 poemas com brócoli (Massao Ohno/Roswitha Kempf, 1981), Quizumba (Global, 1983), Antologia poética (l&pm, 1985) e Ciclones (Nankin, 1997).

Wesley Duke Lee

Fotógrafo

Wesley Duke Lee (São Paulo, 1931-Idem, 2010) estudou arte nos Estados Unidos e na França na juventude. Voltou ao Brasil em 1963 e, entre 1966 e 1967, junto com Nelson Leirner, Geraldo de Barros, José Resende, Carlos Fajardo e Frederico Nasser, integrou o Grupo Rex, numa reação ao mercado de arte. É um dos grandes nomes das artes plásticas no Brasil, como desenhista, gravador, artista gráfico e professor.