• Nenhum item no carrinho

Cara de Artista: Carlos Moskovics
Cara de Artista: Carlos Moskovics

Cara de Artista: Carlos Moskovics

Autor: Sergio Miceli
Fotógrafo: Carlos Moskovics

No início dos anos 1940, o fotógrafo Carlos Moskovics retratou um grupo de pintores e gravadores que atuava no Rio de Janeiro e cujos membros escreveriam seu nome na história da cultura brasileira. Reunido neste livro por iniciativa do Instituto Moreira Salles, mantenedor do acervo de Carlos Moskovics, o conjunto desses retratos é analisado pelo sociólogo Sergio Miceli, autor de textos clássicos sobre as redes de sociabilidade que compõem o meio artístico nacional.

Formado por laços pessoais, estéticos e institucionais, o grupo incluía veteranos já consagrados pelo movimento modernista, pintores ainda em fase de afirmação e iniciantes. Entre eles, nomes como Lasar Segall, Emiliano Di Cavalcanti, Oswaldo Goeldi, Tomás Santa Rosa, Roberto Burle Marx, Heitor dos Prazeres, Maria Helena Vieira da Silva, José Pancetti e Iberê Camargo.

Provavelmente realizados para que os artistas pudessem usá-los em catálogos e publicações especializadas, esses retratos funcionam como instantâneos de uma época, mas, também, como chaves de interpretação para a imagem que cada artista desejava projetar de si mesmo.

Mais do que um ensaio de valor documental, os retratos possuem um valor estético próprio, por seu rico jogo de luzes e sombras, bem como por suas estratégias de composição, surpreendentes a cada imagem.

Páginas: 84
Formato: 15 x 20 cm
ISBN: 9788586707377
Idioma: Português

R$39,00

Adicionar à Lista de Desejos

Sergio Miceli

Autor

Sergio Miceli é professor titular de sociologia da Universidade de São Paulo. Já publicou, entre outros títulos, Os intelectuais e o poder, Imagens negociadas e Intelectuais à brasileira. É um dos pioneiros no estudo das redes de sociabilidade no meio cultural brasileiro.

Carlos Moskovics

Fotógrafo

Carlos Moskovics (1916-1988) nasceu em Budapeste, Hungria. Ainda criança, emigrou com a família para o Brasil, chegando ao Rio de Janeiro em 1927. Aos 15 anos, começou a trabalhar como assistente de fotógrafo. Foi um dos mais ativos documentadores da vida elegante da então capital federal e um dos mais importantes fotógrafos do meio teatral da cidade até a década de 1960. Em 2004, seu acervo de mais de 150 mil imagens foi incorporado às coleções fotográficas do Instituto Moreira Salles.