• Nenhum item no carrinho

Horacio Coppola: visões de Buenos Aires
Horacio Coppola: visões de Buenos Aires

Horacio Coppola: visões de Buenos Aires

Fotógrafo: Horacio Coppola
Texto: Jorge Schwartz

O catálogo traz a visão do fotógrafo sobre a capital argentina na década de 1930, um momento de expansão da cidade. Segundo o crítico Jorge Schwartz, que assina o prefácio desta edição, “a vocação para a síntese, para a geometria e para todas as características que definem a chamada ‘modernidade’ germina em Horacio Coppola em seu período de formação em Buenos Aires, em finais dos anos 1920”.

Páginas: 116
Formato: 21 x 28 cm
Idioma: Português

R$40,00

Adicionar à Lista de Desejos

Horacio Coppola

Fotógrafo

Horacio Coppola (Buenos Aires, 1906-Idem, 2012) começou na fotografia em 1927 por influência de seu irmão mais velho, que usava uma câmera de grande formato. Autodidata, tendo como referência nomes como Félix Nadar e Edward Weston, aprendeu a fotografar nas ruas da capital argentina, registrando intensamente as mudanças urbanísticas, sociais e culturais da cidade. Em 1930, as fotos de Coppola ilustraram o ensaio Evaristo Carriego, de Jorge Luis Borges, de quem era amigo. Em outubro de 1932, aos 25 anos, partiu para uma temporada de seis meses em Berlim, onde consolidou a intenção modernista de sua obra. Estudou e atuou no departamento de fotografia da Bauhaus até seu fechamento pelo governo nazista, o que o forçou a sair da Alemanha. Em Paris, Christian Zervos, diretor dos Cahiers d’Art, encomendou-lhe seu primeiro livro fotográfico, L’Art de la Mésopotamie, sobre o acervo de arte suméria do Louvre e do British Museum. Por intermédio de Zervos, Coppola passou a frequentar as oficinas de Marc Chagall e de Joan Miró, cujos retratos publicaria em Paris. De volta à Argentina em 1936, publicou suas fotos no livro Buenos Aires, 1936, visión fotográfica, com textos de Alberto Prebisch e Ignacio Anzoátegui, encomendado pelo prefeito Mariano de Vedia y Mitre em homenagem ao quarto centenário da cidade. Nesse mesmo ano, produziu Así nació el obelisco, sobre a construção do monumento que simbolizava a cidade arcaica. Em 1937, abriu um estúdio fotográfico voltado para a publicidade com sua mulher, a fotógrafa alemã Grete Stern, que conhecera no período passado na Bauhaus. Montou também uma editora, La Llanura. Coppola começou a trabalhar com fotografias em cor em 1960 e, nas décadas de 1970 e 1980, atuou também como professor.